terça-feira, 18 de outubro de 2011

A era da pressa

Sabichona: Mulher, que presume de muito sabedora.
Vivemos dias de intensa busca por soluções imediatas. A tecnologia promete recursos milagrosos para resolver os problemas profissionais, sociais, economicos e até "sentimentais" das pessoas. Quem ganha com isso são as empresas de ciência e tecnologia. Aliás, elas só existem em função da busca de soluções para os problemas do homem-moderno. Esse constante avanço tem gerado uma problemática social que merece muita atenção. O problema não está na tecnologia, mas sim no seu uso abusivo, na dependência da mesma para obter compensações que somente a familia, os amigos e principalmente Deus pode dar. Não vejo problema nenhum em passar o tempo conectado a internet, ou ao celular, ou a outros tantos "brinquedinhos" tecnológicos, desde que:

1 - Isso não me faça pensar que todos os meus problemas podem ser resolvidos em um simples teclar de ENTER, me fazendo acreditar que  tudo pode ser resolvido imediatamente segundo a minha impaciência e  vontade; 

2 - Ou que os comandos milagrosos e velozes do meu PC me deixem tão ansioso e apressado ao ponto de não tolerar pessoas com ritmo mais lento que o meu, me transformando em alguém insensível e intolerante com idosos, crianças, portadores de deficiência, pai, mãe...

3 - Ou até deixar de me socializar com as pessoas, a não ser que elas estejam do outro lado do monitor, pousando de estrela teen apagada de hollywoodno no perfil de um face book, orkut ou twitter. 

4 - Ou que isso me deixe tão dependente destes objetos ao ponto de parecerem uma extensão do meu corpo, tipo pessoas que não largam o celular, nem do laptop por nada na vida em nenhum momento.

Penso que jamais a tecnologia poderá substituir o abraço de uma mãe ou de um amigo chegado, o cafuné da vovó querida ou o ombro do pai... Pois ainda que o computador consiga uma simulação perfeita destes afetos, nunca haverá na máquina um coração que transmita o calor dos  sentimentos de amizade, amor, maternidade... Estes sentimentos são recebidos na alma, não são apenas sensações fisicas. São desmentidos muito facilmente quando há artificialidade, pois não há resultados se não forem autênticos, originais, genuinos e humanos. A tecnologia  jamais trará cura a emoções e sentimentos enfermos.


Devemos respeitar o ritmo uns dos outros. Nem todos estão na mesma fase da vida, gozando do mesmo estado físico, espiritual ou emocional. A vida é uma corrida cujos obstáculos são injustos e diferentes para cada pessoa. Cada um tem seu desafio diário, seu ritmo, sua estratégia de luta... Sejamos tolerantes uns com os outros. Isso é amor.

video



quinta-feira, 13 de outubro de 2011

Certa feita, o profeta Jeremias foi convidado por Deus, a ir até a Casa do Oleiro. A Casa do Oleiro era uma fábrica onde se encontrava o oleiro com sua roda a trabalhar na fabricação de utensílios de barro. Jeremias obedeceu a voz de Deus e ao chegar alí, achou o oleiro, comumente, trabalhando na elaboração de um vaso. 

Imagino que Jeremias tenha entrado alí e, sentando-se, começou a observar o modo como ia sendo modelado aquele objeto a partir da argila informe; Creio que houve algum tipo de diálogo entre eles, todavia, Jeremias não tirava o olhar da roda, pois presentia que algo poderia ocorrer alí para seu ensino e toda a atenção era necessária. De repente ocorre um acidente: o vaso que estava sendo trabalhado se parte nas mãos do oleiro e este recomeça a sua obra. Então, Jeremias ouve a voz do Senhor: "Vai e diz a nação estas palavras: "Não poderei eu fazer de vós como fez este oleiro, ó casa de Israel? Eis que como o barro na mão do oleiro, assim sois vós na minha mão". Jr 18.6. 

Estamos vivenciando um tempo no qual Deus está quebrando o orgulho do seu povo para que este experimente um novo tempo de cura e liberdade no Espírito. Quando o Senhor tem algo a realizar em nossas vidas, nada pode impedir o seu operar, nada pode impedir que sejamos peneirados das nossas rebeldias, quebrados, amassados e, claro, refeitos, afim de nos tornar-mos vasos de honra, consistentes, sem rachaduras, para o uso exclusivo do Senhor. 

Existem coisas em nosso interior que só podem ser removidas através das potentes mãos de Deus. São impurezas tão enraízadas em nosso ser que, só serão retiradas pelo processo da peneiragem da alma e, quando isto se faz necessário devemos nos submeter ao esmero das mãos do oleiro, até que sua obra esteja pronta em nós. Isso poderá durar algum tempo, mas com certeza, aquele que começou a boa obra a aperfeiçoará.

No processo da maturação do caráter cristão, não existem atalhos, quem está na roda do oleiro, tem que passar pela peneira. E quem já passou pela peneira tem que ser amassado até adquirir a consistência certa para ser modelado em vaso de barro, do contrário o vaso conterá rachaduras depois de pronto. O processo de modelagem do vaso de barro, representa as circunstâncias que passamos na vida para adquirirmos a maturidade cristã. Uma afronta alí, uma humilhação aqui, uma decepção, um aperto financeiro, uma perda ou outra... Independente das adversidades o importante é saber que nada sai do controle do Pai celestial. Tudo no final se tornará em experiências contadas com louvor pelo resultado maravilhoso de uma obra perfeita, feita pelas mãos de Deus. Todos estamos no processo de formação do caráter de Cristo em nós. Deixemos Deus trabalhar em nossas vidas, Ele deseja que seus filhos sejam parecidos com Ele. Que Pai amoroso é o nosso Deus. Paz!


quarta-feira, 12 de outubro de 2011

Lançado a 250 km/h

Um flecha é lançada a 250 Km/h
Uma flecha, antes de ser lançada pelo arqueiro, primeiramente é puxada para trás. O arqueiro sabe que quanto mais ele a puxa, mais tensão haverá no arco, que por sua vez, fará com que a flecha seja atirada com toda a força necessária para percorrer a distância entre o arqueiro e o alvo. O salmista diz que "Como flechas na mão de um homem poderoso, assim são os filhos da mocidade", Sl 127.4. Estas flechas representam os filhos de Deus, é uma simbología que se refere a nós que um dia cremos e até hoje permanecemos na aljava do Senhor. A lição que tiramos dessa analogia está nesse movimento que o arqueiro faz antes de lançar a flecha: Ele a puxa para trás primeiro, pra só depois lançá-la ao longe. O termo "puxar para trás", na gíria popular, significa atrapalhar, sabotar, impedir... É como nos sentimos quando alguém tenta contra nossos planos e projetos. Mas o que fazer quando isso é algo vindo de Deus para o nosso crescimento? Você pode até pensar, mas Deus não puxa ninguém para trás. É verdade, Deus não puxa niguém para trás, mas permite que você seja puxado por alguém que não te ver com os olhos dele. Compreenda, Deus é perfeito em tudo o que faz e, nós, seres inacabados - a partir do Édem - temos defeitos, falhas gravíssimas em nosso caráter. Devemos ter humildade e reconhecer que presisamos estar sempre sendo modelados ao caráter de Cristo, isto se quisermos ser como Ele é. Uma dessas falhas chama-se orgulho, coisa detestável aos olhos de Deus. O orgulho foi  o primeiro mal de que se tem registro a surgir nas esferas espirituais. Orgulho é parte da natureza humana e, para que essa falha seja corrigida precisamos de uma "puxadinha para trás" de vez em quando; e quanto mais forte for essa puxada, mas abatido você será. Só que a concequência disso será o impeto com que você será lançado na direção do alvo. Com certeza chegará mais rápido e acertará com enorme presisão o alvo desejado - É a lei da ação e reação (de Newton). Se estás na aljava do Valente, serás puxado para trás, mas se alegre, amanhã serás lançado a 250 Km/h à frente dos teus sabotadores! (risos). Aleluia!

terça-feira, 11 de outubro de 2011

Ô ô ôooo ô ô... A dança da Noivaaaaa

Congresso Jovem 2011 - Bom Retiro.
Todos nós que aguardamos o noivo, somos noiva. Noivas de Cristo. No contexto hebraico é a noiva que espera o noivo no altar. Lá na Bom Retiro, costumamos celebrar com muita alegria, essa espera incansável da noiva, pois sabemos que Jesus está prestes a vir nos buscar para participar das bodas do Cordeiro. Imagino que cantaremos um hino de celebração tão ritmado que até quem nunca dançou vai querer  mexer os pés de alguma forma naquele momento. O nome da canção? A dança da Noiva, Ô ô ô ô ô... Ô ô ôô ô... rs rs rs. Por incrível que pareça há quem diga que será um hino lento, beeeem "espirítual", sabe... aquela conversa antiga que sacro somente hinos de certa data, pois os de hoje não são tão ungidos... O texto biblico diz que Mirian, quando chegou do outro lado do mar Vermelho, compôs um lindo cântico de exaltação a Deus. Ela dizia cantando, dançando e tocando um tamborim: "Só Senhor é Deus!" O texto diz que ela dançava e, não poderia ser por menos, ela iria presenciar o massacre de toda as familias Israelitas, iria ser um carneficina, mas Deus a livrou desse terrivel fim. Penso que será este o sentimento que teremos ao entrar no céu, um sentimento de profundo livramento, uma alegria incomensurável, um contentamento inimaginável. Um triunfo haverá no coração de todos os que foram salvos da morte e do inferno: "Vencemos a batalha, bendito seja a Rocha da nossa salvação, Jesus! ... E cantaremos dançando: Ô ô ô õ... A dança da Noivaaaaa!!

segunda-feira, 10 de outubro de 2011

O melhor vem depois

O bolo da titia Nilda


O melhor ainda vem depois


Estamos vivenciando os ultimos momentos da Igreja sobre a terra, o arrebatamento está prestes a acontecer. É incrivel como as pessoas estão alheias a esse fato, não se ouve sobre isso, não é o assunto principal nas igrejas, os pregadores, parecem que pulam o texto das palavras de Jesus que diz: "Eis que venho sem demora.", Apocalipse 3.11. Mas, realmente, porquer querer sair de um lugar que parece ser tão bom? É verdade que existem pessoas que estão tão resolvidas a ficarem depois do arrebatamento da Igreja que estão confortáveis com esse mundo. Os que são daquí se sentem assim, mas o que buscam uma pátria superior, com certeza, almejam o novo céu e a nova terra. Esse mundo é como se fosse um organisnmo e nós um corpo estranho; Todo corpo estranho tende a ser expulso quando em um organismo que não é o dele, é dessa forma que nos sentimos quanto a esse mundo, existem momentos em que nos sentimos convidados a sair, não somos bem-vindos, isso, é claro, com muito menos rigor aqui no Brasil, porquer em vários lugares do mundo a igreja é severamente castigada por não pertencer ao sistema das instituições corrompidas deste século. Falo da Igreja invisível, dos convidados para as bodas do Cordeiro. Quem nunca já foi excluído do grupo por ser crente, por não ser possível comungar com certas práticas? Infelizmente nem todos conseguem resistir aos baquetes de Babilonia, mas ainda existem Danieis que serão capazes de enfrentar a acorrupção do mundo por amor a Jesus Cristo. É a geração de Daniel, é a geração que será arrebatada para a terra de Emanuel, onde não haverá choro, nem pranto, nem sol ou lua, pois Deus mesmo será a sua luz. 

Paz a todos!
Eis que venho sem demora
Apocalipse 3:11
Eis que venho sem demora
Apocalipse 3:11
Eis que venho sem demora
Apocalipse 3:11

terça-feira, 4 de outubro de 2011

Meu paraíso particular - Praia de Barreta
Mergulhar nas águas do Espirito Santo de Deus é a nossa única opção diante dos problemas da vida. A água é um dos simbolos que aplicamos aos acontecimentos espirituais que ocorrem no mundo espiritual. Tudo primeiramente ocorre na dimensão espirítual, para só depois acontecer no reino matérial. Quando mergulhamos em Deus nos escondemos de tudo e de todos, não somos vistos pelo olho carnal, ver no sentido de compreender, pois o homem espiritual confunde os olhares meramente carnais. Por mais que estas águas sejam claras, uma vez estando submersos, estaremos distantes do mundo. Ao orarmos estamos submersos. Quando adoramos estamos submersos. Quando simplismente nos levantamos e damos alguns passos em direção ao Circulo de oração ou a aqulaquer lugar onde se invoque o nome Santo do Senhor, estamos mergulhando em Deus. E ao abrir a Biblia, é aí que nos submergimos nas águas que descem do Trono de Deus, essa fonte é a mais segura. Mergulhar é uma questão de hábito e hábito é uma questão de escolha. Todo o homem deveria ao menos uma vez por dia dobrar os joelhos e elevar os seus pensamentos a Deus. Daniel fazia isso com muita naturalidade, esse costume lhe abriu muitas portas, salvou vidas, revolucionou os anais da história de Babilonia e lhe deu até hoje muitas honras. Quer ser honrado por Deus e pelos homens? Mergulhe na águas do Espírito. Mergulhe agora nesse louvor, veja o video do cantor Marcelo Santos.


video